Lugares para se conhecer

Lugares para se conhecer

sábado, 21 de março de 2020

Ocupando o tempo agregando saberes


Enquanto a pandemia global se manifesta, esperamos com paciência tudo acabar bem

*Lembre-se o convite é para visitar, agregar saberes e retornar para seu lugar de origem, ( assim preservando o lugar).
Em minha pagina no facebook tem muitas fotos, de Curitiba Centro Histórico, cidades vizinhas, praias, as fotos são todas do fotógrafo Sidnei Marques eu mesmo.

Viagem de trem de Curitiba à Morretes

O trem Maria fumaça já está em funcionamento, Morretes à Antonina trecho de 15 km.

Ferrovia cortando a Mata Atlântica na Serra do Mar.

No blog em postagem antiga tem sobre esta viagem.


Época de inverno é propicio para o Montanhismo



















Morretes











sábado, 8 de fevereiro de 2020

Turismo Rural

Neste vídeo, rico em dados históricos em produção de cachaça, fabrica de farinha movida com roda d´água e a magia dos lugares.







quarta-feira, 29 de janeiro de 2020

Postagem comemorativa às 10.000 visualizações

Mandioca

Em tupi: Mani

Tubérculo abençoado cultivado em Morretes todo ano.
Planta que se adapta a vários tipos de solo arenoso e argiloso.
Não necessita de arar a terra, pois sua cultura depois da colheita se faz arar para o próximo plantio.
Até o ano de 1970 em Morretes havia muitas casas de farinha de mandioca, cerca de 25 residência para cada casa de farinha.
O produtor de mandioca levava sua produção para a casa de farinha que era de um particular e faziam a farinha as meias (não se envolvia dinheiro e sim trocas).
Da mandioca era feito a farinha, o biju, o cuscus, o polvilho e a berereca.
Muitas das casas de farinha  eram movidas com a energia da água, (rodas d' água moviam engenharia em polias de madeira com transmissão por correias por toda a fabrica).
A Jaguatirica Expedição tem material em mídia das casas de farinha que não existem mais.
























































Uma típica casa de Farinha

Polias que movem raladores e pás da fornalha

                                                                    

 Prensa para desidratar a massa da mandioca 


quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Abelhas Nativas

A vida das abelhas é crucial para o planeta e para o equilíbrio dos ecossistemas, já que na busca do pólen, sua refeição, estes insetos polinizam plantações de frutas, legumes e grãos.
Esta polinização é indispensável, pois é através dela que cerca 80% das plantas se reproduzem.
As abelhas nativas são que tem melhores condições de polinizar especies nativas.
Em Morretes se encontram as especies nativas, sem ferrão e não agressivas,  tais como Jatai, Uruçu tujuba, Tujumirim.
A Jaguatirica Expedição tem parceria com criador (meliponicultura), em defesa das matas nativas.https://www.instagram.com/co_operacao_florestal/?hl=pt-br




Tiê-Sangue (Ramphocelus bresillus)

Ave de ocorrência restrita à porção leste do Brasil. Habita principalmente áreas de restinga e capoeiras do litoral, onde alimenta-se basicamente de pequenos frutos. É considerada uma das mais belas aves do Brasil e pode ser facilmente observada. O macho possui coloração vermelho-escuro reluzente com as asas anegradas e a fêmea mais discreta com coloração marrom uniforme. 
Obra de arte: Aquarela



Vista do alto das montanhas de Morretes
Baias de Antonina e Paranaguá
















Sidnei Marques ao lado de uma árvore especie canela preta aproximadamente 150 anos. 



quinta-feira, 27 de junho de 2019

Antonina - Paraná - Brasil

15 km de Morretes

 Cidade histórica, costa para o Oceano Atlântico
 Cidade sossego e tranquila
 Local de grandes eventos, Carnaval, Festival de inverno, Festival de Blues, Encontro de veículos antigos, Festas Religiosas, Esportes radicais, Canoagem, Cicloturismo, Cachoerismo, Corridas de aventura etc. https://www.facebook.com/santuariovitoriaregia/











Teatro Municipal de Antonina.






Estação férrea de Antonina. Já esta em funcionamento o trem Maria fumaça de Morretes a Antonina trecho de 15 km.









Caixa d´água de abastecimento da Maria Fumaça.









Igreja de nossa Senhora do Pilar

Casário estilo barroco seculo XlX


Baia de Antonina vista da Igreja de Nossa Senhora do Pilar.

  Construções rudimentares em Antonina.




Sidnei Marques em Pico do Paraná - Antonina, o maior do Sul do Brasil











Vista do Pico Paraná


Antonina em 1872 século XlX

Vista Geral de Antonina, aquarela sobre papel-11x34 cm ( duas folhas)-1872-Wilian Lioyol

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

veja este blog versão web

Apresentação; Sidnei Marques  53 anos nascido e residente em Morretes.

Da logo Jaguatirica idealizada por Sidnei  Marques e arte do artista plástico Daniel Conrade  Definição: Animal no topo da cadeia com base folhas e gotas (florestas, água) em pirâmide.        
 Matérias: Através de pesquisas em bibliotecas públicas, pesquisa de campo e experiência própria..   
Objetivo: Dinamizar o turismo de todas as formas, fonte econômica da cidade utilizando mão de obra diretas e indiretas para um bem comum.

Turismo da sabedoria

Morretes


Morretes, um verdadeiro laboratório a céu aberto.
O convívio com a natureza, pessoas e cultura aumenta o conhecimento das salas de aula. 
A socialização traz saúde e qualidade de vida, e auto-sabedoria para que possa encarar o mundo com um olhar diferente, mais humano e de mais igualdade.
A escola da vida é o conhecimento de forma dinâmica e simples.
As pessoas são também professores um convívio de trocas de conhecimento, a cada canto uma História, um novo conceito. Sim é para somar com que já existe. venha e passe um tempo conosco.
Morretes

domingo, 5 de novembro de 2017

Nascer do sol em "Pico X" em MorretesVista do Pico X em Morretes




Super Lua

Morretes - Brasil
1 de janeiro de 2018  22:29:00




Morretes palco logístico para eventos marcantes

 

Possui infraestrutura  feita pela natureza e construída de forma espontânea suas instalações.
Ideal para eventos tais como: Mundiais, Panamericanos, Internacionais, Brasileiros, Estaduais.
Para esporte de aventura e outros: Montanhismo, Alpinismo, Cachoerismo, Rafting, Canoagem, Corridas de Montanha, Corridas Rústica, Ultra Maratonas, Maratonas, Ciclismo, Ciclismo contra relógio, Mountain bike, Up Hill, Down Hill,  XCO,  XCM, XC ULTRA; Artes Marciais, Capoeira, Judo e outros.
Sua infraestrutura e tudo em um raio de 5 km, Hotéis, Pousadas, Restaurantes, Hospital, Emergência, Bombeiro, Policia, Mercado, Triângulo de rodovias PR e BR, Aeroporto Internacional á 50 km, Porto Marítimo á 40 km. 

  

Serra do Rio do Rastro SC - Brasil

A estrada mais espetacular do Mundo

510 Km de Morretes

Lugares paradisíacos na viagem, Praias, paisagens e montanhas.


sexta-feira, 7 de julho de 2017

Montanhas do Brasil

Montanhas do Brasil



Pico do Marumbi  1.539 metros - Morretes

Até o ano de 1941 era ponto culminante do Estado do Paraná
Reconhecido pela Unesco como reserva da Biosfera e Sitio do Patrimônio Mundial

Pico do Paraná o maior do sul do Brasil 1.887 metros



Um novo dia Pico do Paraná


Lua cheia no Pico do Paraná

Cidade onde o Brasil começou

Guaraqueçaba 105 Km de Morretes

Ciclo do ouro

História




















Guaraqueçaba 475 anos de História


segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Curiosidades (Lingua TUPI)

Morretes tem unidades de conservação e também é o elo de outras unidades.

Parque Estadual Pico do Marumbi  Área (ha) 2.342,41, Morretes. Pico Marumbi 1.535 m
Parque Estadual da Graciosa Área (ha) 1.189,58, Morretes.
Parque Estadual do Pau-Oco Área (ha) 905,58 Morretes
Parque Estadual Roberto Ribas Lange Área (ha) 2.698,68 Morretes - Antonina, Pico Paraná 1.877 m.
Área de especial interesse turístico do Marumbi Área (ha) 57.510,52, Morretes, Antonina, Quatro Barras, Campina Grande do Sul, São José dos Pinhais, Piraquara. 
Parque Nacional de Saint Hilaire / Lange, Área 251 km², 25.119, 14 (ha),  Morretes, Paranaguá, Matinhos, Guaratuba.

Lingua antiga falada no Continente Sul-Americano há aproximadamente 1.000 / 1.500 anos.

Onde viajar nas férias

Morretes- Paraná-Brasil

Morretes nome dado por ser cercado por morros (montanhas)





















o Tupi era uma das mais de mil línguas conhecidas em 1.500. Até a metade do século XVIII, o tupi foi o idioma mais falado no território Brasileiro que legou a cerca de 20 mil palavras ao nosso vocabulário. 


  • JAGUATYRYCA: gato do mato
  • TUPÃ: Deus
  • ÓCA: casa
  • PARANÁ: vista para o mar
  • Y: rio
  • NHUNDIAQUARA: peixe do buraco 
  • PORANGA: bonitos
  • GUATA PORANGA: CAMINHADA BONITA
  • MARACUYÁ: maracuja
  • PITANGUÁ: bem-te-vi
  • TAKÚAR: cana-de-açúcar
  • PACÓA: banana
  • AÇAI: palmeira (palmito Jissara)
  • ARACY: CIGARA(mãe do dia)
  • LACY:  lua
  • CORACY:  Sol
  • ANGA: Sombra                                                                                                                                
  • ARACÊ: aurora
  • SUMÉ: Deusa-das-Mares
  • SUMÁ: Deusa-da-Amizade
  • CURUPIRA: Deus-da-Floresta
  • IBIAPERA: planicies floridas
  • YUI: Terra no Universo
  • ABÁ: Homem-Pessoa
  • MANI: Mandioca
  • TIPITI: Cesto de Bambú   
  • MARUMBI: Caminho do Céu                                                                                                   
  • BOITATÁ: Deus do fogo
  • ANHANGUERA: Diabo ruim
  • ANHANGÁ: Gênio protetor da floresta ( fauna e flora ) 
Reicó; Brasil

Em memória do Artista Daniel Conrade

 

Sarika, artista ilustradora da flora e fauna da Mata Atlantica








Arte Morretense







terça-feira, 22 de novembro de 2016

sábado, 19 de novembro de 2016

SERRA DA GRACIOSA PATRIMÔNIO DA HUMANIDADE

A estrada da Graciosa foi construida em 1873 com pedras cortadas de maneira manual; Originada a partir de uma trilha de povos Indigenas.
A estrada mais bela do Brasil.
Há um portal estilo colonial
É hoje um local de esportes competição como Ciclismo de estrada e Mountain Bike, ( Federação Paranaense de Ciclismo ), corrida Rustica , e de lazer, com churrasqueiras, sanitários, quiosques, mirante com visão panorâmica das Bahias de Paranaguá e Antonina e da cidade de Morretes.




























Portal da Estrada da Graciosa

 Arraial do Anhaia    

De forma musical é contada a história de um lugar 


   
    Lambriqui; falado pelos nativos Lambiqui, simulava gotas de neve nos beirais das casas, lembranças da Itália.
    Tipití: Cesto de bambú (taquára) para desidratar a massa da farinha de mandioca, origem Indigena.
    Cavedá; Santo espingardeiro, protege os tesouros chamados de Guardados, seria uma assombração. ( lendas).
    Anhangá: protetor da fauna e flora crença Indigena, para quem agride a Natureza terá retorno.
    compositor: Sidnei Marques
    

Igreja de São Pedro 

Anhaia

Conheça Morretes

                                                                   
                                                                    Centro Histórico                                                                                                                        



                                                                     Ponte Velha

  Sobre o rio no centro da cidade, considerada uma obra de arte como portais , inaugurada em 1912 e importante via de comunicação da cidade  e por sua importância histórica e turística de Morretes 




Morretes Palco logistíco para eventos marcantes